[ editar artigo]

Brasileiras e americanas fazem intercâmbio sobre empoderamento feminino

Grupo promove participação da mulher em todos os setores da sociedade em discussão internacional. Norte-americanas desembarcaram ontem em SP.

 

Fonte da imagem: Divulgação

Em outubro passado, catorze mulheres de oito estados brasileiros foram aos Estados Unidos para um intercâmbio sobre empoderamento feminino e trazer o know-how norte-americano para o Brasil. O intercâmbio foi promovido pelo órgão ligado ao U.S. Departament of State, o Professional Fellows (Profellows), e consiste em uma ação voluntária. Dados do Fórum Econômico Mundial (FEM) divulgados em 2012 indicam uma ascensão do Brasil em vinte posições no ranking de 129 nações, em relação à condição das mulheres na sociedade. Mesmo assim, o país ainda é o 62º colocado. No último domingo, dia 13, treze mulheres norte-americanas dos estados de Connecticut e Massachussets desembarcaram em São Paulo. Elas ficam na cidade até dia 16 e, depois, se distribuem entre os estados de São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Piauí, Tocantins, Distrito Federal Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Uma das voluntárias que foi aos Estados Unidos, a publicitária Amanda Riesemberg Ferreira, foi convidada por seu trabalho na campanha contra o câncer de mama pelo Instituto Humanista de Desenvolvimento Social (Humsol). “Nosso objetivo principal foi trazer de fora mais conhecimentos sobre o tema para o Brasil. É impactante chegar aos Estados Unidos e ver como a luta pela igualdade dos gêneros é forte e como aqui no Brasil somos acomodadas com essa situação. Talvez por acharmos que uma mulher no cargo de presidente signifique muito, mas ainda não recebemos o mesmo salário que os homens no mesmo cargo de trabalho”, disse Amanda. Para Margareth Eulálio, intercambista do Piauí, “o programa possibilitou conhecer a seriedade com que o povo americano desenvolve o trabalho voluntário, como faz a captação e aplicação de recursos nas ações voltadas às causas sociais e de saúde. Margareth disse, ainda, que “é tocante observar como o espírito solidário é uma característica do povo americano”, ressaltando que o grupo de brasileiras participou de momentos importantes da cultura (Halloween), política (Eleições 2012) e estilo de vida dos estadunidenses.

Em uma classificação específica sobre o poder econômico e oportunidades para as mulheres, o Brasil fica em 73ª posição, segundo o FEM. A renda dos homens brasileiros é, em média, de US$ 14,6 mil dólares/ano. As mulheres ganham pouco mais da metade: US$ 8,8 mil. No ranking geral da condição feminina o Brasil é superado por países como Argentina, Bolívia, Namíbia, Cabo Verde e Madagascar.

Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que as mulheres brasileiras ganharam terreno na participação política elegendo, no último pleito, 30% mais prefeitas e 17% mais vereadoras que nas eleições de 2008.

Fonte: Overcome Comunicação Ltda.

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você