[ editar artigo]

Como empreender em tempos de crise – parte 2

Por Kátia Nascimento

No último post terminei com um grande desafio: “Quanto mais crise, mais pensamentos de soluções. Aí é que precisamos empreender em nossa sabedoria, em nossa experiência, em nossas ideias. É nesse enredo que vamos encontrar a chave para entrarmos de vez pela porta do sucesso. Como fazer isso? Focando naquilo que se quer. É difícil? Sim, certamente é. Mas há modos de se fazer isso. E um deles é o autoconhecimento”.

Qual o desafio? Autoconhecer-se! Ah! Isso não é fácil, não! O autoconhecimento é uma faca de dois gumes. Por quê? Porque nem sempre conseguimos abstrair as melhores respostas às nossas perguntas. É difícil! Às vezes temos que viver muito e muitas experiências para chegarmos a conclusão que não deveríamos ter ido por tal caminho.

Podemos fazer isso de duas maneiras: errando ou pedindo ajuda.

Fonte da Imagem: Estúdio Trevisart


No meu ofício de empreendedora, comecei fazendo o errado. É do ser humano. Errar é do ser humano. Erramos porque somos orgulhosos. Uns mais outros menos, mas todos somos. Queremos fazer do nosso jeito, mesmo sem ter certeza de nada. Mas nos dobrar à opinião alheia nem sempre é uma escolha agradável para quem tem dificuldade em se render.

Palavras duras, mas necessárias. O orgulho é um sentimento que, muitas vezes, acaba com a estrutura de um bom empreendimento.

Por exemplo, quando escrevemos um texto, um bom texto, diga-se de passagem, é necessário que outra pessoa o leia. Estamos tão imbuídos daquele assunto, do modo como escrevemos etc., que não nos damos conta de pequemos equívocos da linguagem, e isso, consequentemente, pode deixá-lo feio. Ou seja, quem não consegue ler um texto sem prestar atenção apenas no assunto, vai ignorá-lo, obviamente.

Outro exemplo, quando não entendemos de marketing, precisamos, sim, de alguém que nos diga como fazer. Não podemos, simplesmente, fazer a nosso bel prazer algo que não estudamos para desempenhar, ou não temos experiência nesta área. Isso poderá prejudicar nosso empreendimento.

E muito mais exemplos poderia dar aqui para demonstrar o quanto somos orgulhosos e não procuramos a ajuda necessária para que nosso trabalho seja executado com maestria.

Então, no desenvolvimento de nosso autoconhecimento deve ter a palavra ORGULHO.

Isso para nos apercebermos o quanto essa palavrinha prejudica o andamento do nosso empreendimento.

Ao fazermos estas descobertas, estaremos sendo, cada vez mais, mulheres empreendedoras de nós mesmas!

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você