[ editar artigo]

Conheça e se inspire com Greta: de "Garota Invisível" a Ativista Climática Global

Conheça e se inspire com Greta: de

Tradução livre de trechos do artigo de Somini Sengupta no New York Times
18/02/2019

Pequena, tímida, sobrevivente de uma depressão incapacitante, Greta Thunberg, a jovem sueca de 16 anos que está fugindo da escola para envergonhar o mundo em relação à mudança climática, atraiu um desfile de fãs em uma sexta-feira de fevereiro em uma praça congelada em Estocolmo.

Seis estudantes suíços viajaram 26 horas de trem para buscar apoio em sua petição por uma lei suíça de emissões de carbono. Um cientista italiano disse a ela que ela o lembrava dele mais jovem e ativista. Uma equipe de notícias de televisão pairava em torno dela. Mulheres de um grupo antifumo vieram lhe dar uma camiseta.

Greta assentiu com a cabeça, sussurrou: "Obrigada", posou para fotos. Fez exatamente zero conversa fiada.

Toda essa atenção, disse ela fora dos ouvidos dos outros, é ótima. Significa que "as pessoas estão ouvindo". Mas então, um clarão de raiva de lâmina de faca se revelou.

"Às vezes, é chato quando as pessoas dizem: 'Oh, vocês crianças, vocês jovens são a esperança. Você vai salvar o mundo ", disse ela, depois de vários adultos terem dito isso a ela. "Eu acho que seria útil se você pudesse nos ajudar um pouquinho"

Esta é a assinatura de Greta. Sem rodeios. Às vezes sarcástica. O oposto de doce.

Outro exemplo surgiu novamente numa sexta-feira, quando o escritório da primeira-ministra Theresa May encerrou greves na Grã-Bretanha e as classificou como uma distração que "perde tempo de aula". Greta rapidamente revidou no Twitter:

"Mas, novamente, líderes políticos perderam 30 anos de inatividade. E isso é um pouco pior"

Seu ato solitário de desobediência civil - esta foi a 25ª vez que ela escapou da escola para protestar no Parlamento - inspirou grandes manifestações de crianças em outros lugares, provocou um debate sobre se as crianças deveriam sair das aulas para ações climáticas e instigou haters e céticos a se perguntar quem lucra com Greta.

Os últimos seis meses foram, como ela disse, "um estranho contraste". Eles a compeliram a falar, falar muito, algo com o qual ela não está acostumada.

"Toda a minha vida eu tenho sido invisível, a garota invisível nas costas que não diz nada", disse ela. "De um dia para o outro, as pessoas me ouvem. Esse é um contraste estranho. É difícil" 

Greta Thunberg é uma ativista improvável, embora não inteiramente acidental.

A mais velha de duas meninas, ela cresceu em Estocolmo. Ela estudou piano, balé e teatro. Ela foi bem na escola. Como muitas crianças, ela assistiu a filmes educativos sobre o derretimento do Ártico e o destino dos ursos polares e dos mamíferos marinhos intoxicados de plástico. Mas, ao contrário de outras crianças, ela não podia deixar de pensar nisso.

"Isso me afetou muito. Comecei a pensar nisso o tempo todo e fiquei muito triste", disse ela. "Essas fotos estavam presas na minha cabeça."

A adolescência trouxe pressões sociais. Ela não gostava das coisas em as outras crianças gostavam. Celulares. Roupas. Nada disso a interessava, recordou o pai dela. 

Aos 11 anos, Greta caiu em profunda depressão. Ela parou de ir à escola. Ela parou de comer. Ela parou de crescer. Ela falava apenas com a família e, na escola, apenas com uma professora, Anita von Berens.

"Antes, meu próprio mundo era muito grande", lembrou ela. "Eu estava sozinha".

O mundo sozinho ainda está lá?

"Sim", ela respondeu prontamente. "Mas está ficando menor e o mundo real está ficando maior". "Estou mais feliz agora", acrescentou ela. "Eu tenho significado. Eu tenho algo que tenho que fazer"

Ela continua pequena para sua idade, uma conseqüência de comer mal durante sua luta contra a depressão. Ela não ri muito ou faz conversa fiada.

Ou, como ela diz, "eu só digo o que é necessário".

Atravessar a fase difícil levou meses. Greta disse que o que a fez se sentir melhor foi ser ouvido, primeiro por seus pais. Ela os incitou a parar de comer carne. Então ela os incitou a se tornarem veganos, o que eles também fizeram, exceto que, de acordo com Greta, sua mãe, Malena Ernman, continua a roubar queijo. "À noite, eu não vejo", disse Greta.

"Foi muito bom ser ouvida", disse Greta.

Às vezes, seu papel público traz atenção indesejada. Um desses casos levou Greta a escrever um longo post no Facebook, declarando que ela está agindo de forma independente e que nem ela nem sua família estão aceitando dinheiro algum.

Sua ex-professora, a Sra. Von Berens, ficou maravilhada com a transformação dela. Ela também se perguntou o que aconteceria a seguir, quando a atenção desaparecesse. "Eu não acho que isso será para sempre", disse ela.

Quanto a Greta, este é o último semestre da 9ª série. Ela está pensando em tirar um ano de folga para continuar seu ativismo em tempo integral.

Perguntada se ela iria a Nova York em setembro para a cúpula do clima das Nações Unidas, se convidada, Greta disse que não iria de avião. Mas ela poderia navegar lá em um navio. E ela aprendeu que ir em um navio de contêineres teria a menor pegada de carbono.

Empreendedorismo Rosa
Ler matéria completa
Indicados para você