[ editar artigo]

Filhos empreendedores, será?

Por Lênia Luz

Tenho pensado sobre esta questão, baseada na realidade do empreendedorismo feminino hoje no Brasil, onde muitas mulheres iniciam um empreendimento junto aos seus filhos em suas próprias casas, ou mesmo tendo um espaço fora, levam seus filhos junto, quando ainda pequenos. Hoje, grande parte das pequenas e médias empresas é familiar, sendo assim, poderíamos supor que os filhos herdarão não somente a empresa, mas também o desejo de empreender.

Eu mesma, como sabem, tenho quatro filhos, Gabriela de 25 anos, Natália de 23, Daniel de 20 e Vitor de 6, este fruto de meu segundo casamento. Para os três mais velhos, inicialmente descarto esta hipótese, já que estão com suas carreiras profissionais encaminhadas . Já o Vitor, que desde bebê “empreende” comigo e com meu marido (já que temos, sem dúvida, sangue empreendedor nas veias) viajou muito conosco para cá e para lá, numa rotina nada comum para uma criança, tem grandes chances de se tornar um empreendedor também.

Fonte da imagem: arquivo pessoal

• Quando somos donos de nosso próprio negócio, temos mais probabilidades de levarmos nossos filhos a se envolverem com nosso trabalho. O fato de passarmos mais tempo juntos acaba favorecendo a eles uma educação precoce nos negócios.

 

A questão que trago aqui não é se serão ou se não serão, mas sim o que nosso modelo de empreendedores pode gerar neles. Eis algumas questões que levantei:

• Estando conosco no empreendimento, as crianças tendem a ter orgulho do que fazemos e realizamos, e nos veem como líderes responsáveis pelas nossas vidas e de outras pessoas.

• Ao nos observarem, desde cedo, em nossos empreendimentos, nós os ajudamos nas decisões acerca de seu futuro. Por certo, expandirão seus horizontes, quando perceberem que podem construir algo sozinhos, a partir de suas ideias e decisões.

• Eles podem também negar este lugar ao nos verem assoberbados de trabalho, muitas vezes nos sacrificando, e decidirem, então, que a vida de empreendedor jamais será para eles.

Como tem sido o seu impacto social empreendedor na vida de seus filhos? Será que você tem impactado de maneira positiva ou negativa? Serão eles empreendedores de ocasião ou empreendedores de paixão e mudança no mundo, por causa de seu impacto positivo deixado na vida deles?

Para fechar esta reflexão, compartilho um diálogo, que tive com Vitor na hora da nossa contação de histórias junto com seus amigos Homem de Ferro e Hulk.

“Mamãe, o Homem de Ferro é super-herói?”. Eu lhe respondi: “Sim!”. Perguntei a ele: “Quais são seus superpoderes?”. Ele respondeu: “Ele tem força!”. Aí eu perguntei: “E o Hulk?”. Ele disse: “Ele fica verde!”. Então finalizei perguntando: “E a mamãe é um super-herói?”. Ele me surpreende respondendo: ”É!”. Rapidamente perguntei: “Quais são meus superpoderes?”. E ele sorrindo me disse: “Empreendedorismo Rosa!”.

Beijos de mãe que empreende e se surpreende.

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você