[ editar artigo]

Mãe e Empreendedora

Por Ana Valéria Wilges

Meu último texto de dezembro para fechar o ano não podia ter um tema mais especial. Mulheres, mães, guerreiras, empreendedoras, responsáveis por gerar novos seres para uma nova vida. Quanta responsabilidade nós temos, hein?

Quando nos tornamos MÃES deixamos morrer uma parte de nós, que talvez (bem provável) nunca mais faça parte de nós.  Ao mesmo tempo, despertamos para novas responsabilidades, gostos, sensações. Nos tornamos um turbilhão de hormônios ao mesmo tempo em que precisamos enfrentar mudanças profundas e transformadoras. Será que estamos preparadas? Sinceramente, não.

Fonte da imagem: Corbis Imagens

Quando nos damos conta, já nos tornamos mães e estamos com o nosso bem mais precioso nos braços, que depende inteiramente de nós, física, emocional e espiritualmente. Seguimos o baile e num piscar de olhos, quando mal estamos conseguindo pentear os cabelos entre mamadas, banho, troca de fraldas e tal, temos que retomar as atividades profissionais. A sociedade pede, você se exige, ou você precisa?

Muitas vezes, neste momento de retomada ao trabalho é que nos deparamos com o nascer de muitas mulheres empreendedoras.  Acredito que muitas delas acabem optando pelo caminho do empreendedorismo por não encontrar alternativas que permitam conciliar carreira X maternidade de forma saudável nas empresas. Infelizmente a maior parte das empresas não está preparada para "dar conta" das profissionais MÃES preferindo exigir a "hora bunda" do contrato padrão ao invés de flexibilizar e considerar resultados.

Bem, seja pela cultura das empresas ou pelo despertar de novos interesses trazidos com a maternidade, o importante é que o desafio continua e administrar o retorno ao trabalho no pós licença é dureza para qualquer mãe, mesmo que ela não seja mãe de 1ª viagem. Depois do bebê nascer você nunca mais terá tempo para tudo, acredite.

Por isso, organização do tempo é mais que fundamental. Mais do que isso, priorizar o que é importante. Assim, você evita ficar se culpando por não estar trabalhando e nem dando a atenção que você gostaria para o seu bebê.  Aproveite o seu período de licença para começar devagarinho a repensar seus objetivos de carreira, quanto mais perto do período de retomar seu trabalho, mais ansiosa e com menos tempo você estará. Se conseguir priorizar estes objetivos durante a gestação ou até mesmo antes de engravidar, melhor ainda.

Por fim, mãe sempre se sente culpada mesmo, se não for por tudo, por quase tudo. Relaxe, esteja cada vez mais presente em todos os momentos da sua vida. Ou seja, se estiver com seu filho, dê o seu melhor por ele, se estiver no seu trabalho, faça o seu melhor e se concentre no que está fazendo. Uma coisa de cada vez. Esteja inteira em cada situação de sua vida, senão você está sempre fazendo uma coisa e se culpando por outra. Que tal aproveitar que o ano está acabando para traçar suas metas e objetivos para 2015, mamãe que empreende e intraempreende?

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você