[ editar artigo]

Mulheres, trabalho e a realidade

Mulheres, trabalho e a realidade

O "degrau quebrado" é o maior obstáculo que as mulheres enfrentam - e é apenas um dos principais pontos do 5º estudo do #WiW2019 lançado pelo Lean In e a McKinsey & Company.

Enquanto as mulheres não têm uma chance justa, as empresas podem mudar este cenário.

E nós, do Empreendedorismo Rosa temos as ferramentas da mudanças. Venha falar conosco agora!

1. O maior obstáculo que as mulheres enfrentam

A sabedoria convencional diz que as mulheres atingem um "teto de vidro" à medida que avançam, o que as impede de alcançar posições de liderança sênior. Na realidade, o maior obstáculo que as mulheres enfrentam é o primeiro passo para ser gerente, ou o “degrau quebrado”. Esse degrau quebrado resulta em mais mulheres presas no nível de entrada e menos mulheres se tornando gerentes. Como resultado, há significativamente menos mulheres para avançar para níveis mais altos. Para alcançar a paridade de gênero em todo o pipeline, as empresas precisam consertar o degrau quebrado.

2. Justiça e oportunidade

Quando os funcionários sentem que têm a mesma oportunidade de avançar e pensam que o sistema é justo, ficam mais felizes com sua carreira, planejam permanecer na empresa por mais tempo e têm maior probabilidade de recomendá-lo como um ótimo local para trabalhar. Analisamos vários fatores que pesquisas anteriores demonstraram influenciar a satisfação e retenção de funcionários - incluindo responsabilidade de liderança e apoio do gerente - e, juntos, oportunidade e justiça se destacam como os preditores mais fortes.

3. As experiências das mulheres não são universais

As experiências das mulheres são frequentemente moldadas por outros aspectos de sua identidade. Mulheres de cor, lésbicas e bissexuais e mulheres com deficiência estão tendo experiências distintas - e em geral piores - do que as mulheres em geral. Mais notavelmente, mulheres negras e mulheres com deficiência enfrentam mais barreiras ao avanço, obtêm menos apoio dos gerentes e recebem menos patrocínio do que outros grupos de mulheres.

4. Viés desafiador no local de trabalho

O viés afeta as experiências de trabalho cotidianas das mulheres e a capacidade de avançar. As mulheres são muito mais propensas a sofrer discriminação cotidiana no local de trabalho. E o viés pode prejudicar suas chances de serem contratadas ou promovidas - principalmente no primeiro passo para a gerência, onde todos os candidatos têm um histórico curto. 50 maneiras de combater o preconceito é um programa para capacitar gerentes e funcionários a identificar e desafiar o preconceito. Esta atividade baseada em cartões destaca 50 exemplos específicos de preconceito de gênero no local de trabalho e oferece recomendações apoiadas por pesquisas sobre o que fazer.

Este ano, foram coletadas informações de 329 organizações empregando 13 milhões de pessoas e pesquisaram mais de 68.500 funcionários para entender melhor suas experiências cotidianas de trabalho.

Fonte: https://leanin.org/women-in-the-workplace-2019

Empreendedorismo Rosa
Andressa Ramos dos Santos
Andressa Ramos dos Santos Seguir

Advogada, construtora de caminhos e soluções no ecossistema empreendedor.

Ler matéria completa
Indicados para você