[ editar artigo]

O poder do YouTube

O poder do YouTube

Já falamos sobre das vantagens dos vídeos por aqui. E não tem como falar de vídeos sem se lembrar do YouTube. Nascido oficialmente em 2005, o YouTube é sem dúvidas a plataforma mais usada para assistirmos vídeos, seja para entretenimento, estudos ou informação . Falando especificamente sobre o Brasil, nos últimos 4 anos o YouTube cresceu 135% no país.

Com um crescimento enorme, e sabendo que hoje já consumimos mais vídeos no YouTube do que em mídias tradicionais, a pergunta que fica é: “qual a diferença entre os YouTubers e essas mídias?”

A principal diferença é a conexão. Hoje a conversa não é mais unilateral e apenas massiva, existe um relacionamento entre criadores e telespectadores. Os YouTubers conversam com uma imensidão de gente, podem ser “massivos” como a mídia tradicional, mas também podem atender a um nicho específico. Ou seja, o mercado é bem amplo e tem um poder enorme. De acordo com uma pesquisa do Google, os YouTubers só perdem para família e amigos no ranking de influenciadores.

De acordo com os entrevistados, as duas principais vantagens de acompanhar canais do YouTube são:

  • Especificidade: 30% afirmam que ter acesso a assuntos específicos é uma das vantagens
  • Conteúdo: 30% também dizem que sempre encontram assuntos que gostam na plataforma

Os temas geralmente são (basicamente) os mesmos que encontramos nas mídias tradicionais, mas no YouTube o consumo é sob demanda. Além disso, os YouTubers constroem a sua audiência de maneira orgânica, há uma identificação com seu público, que por sua vez é mais engajado. Aliás, uma mudança bem drástica no perfil dos consumidores que antes não tinham voz ativa.

Pensando em todo esse contexto que famosos da mídia tradicional tem voltado suas energias também para o YouTube. Como é o caso da Fernanda Souza, Giovanna Ewbank, entre outros. E também tem mídia tradicional embarcando na onda, como Rede Record com o Programa do Porchat (que acabou no fim de 2018).

E se engana quem pensa que só pop star podem se tornar YouTubers, ou que precise ter um canal de entretenimento. Como disse, as pessoas usam a plataforma para estudar e adquirir informação também.

Então, vendo tudo isso, a pergunta é: sua marca está no YouTube ou faz uso da plataforma para encontrar seu público? Se a resposta for “não” está na hora de rever seu planejamento e ver se faz sentido para o seu negócio entrar nesse universo.

Fonte: Think With Google

 

Empreendedorismo Rosa
Taty Verri
Taty Verri Seguir

👩‍💻 Entusiasta da comunicação e tecnologia 🌎 Apaixonada por viagens 📸 Amante da fotografia e da música

Ler matéria completa
Indicados para você