[ editar artigo]

Trabalho remoto, benefícios e desafios

Trabalho remoto, benefícios e desafios

Ter um trabalho remoto é poder viajar à vontade, é trabalhar a hora que bem entender, é não ter chefe em cima de você o tempo todo, nem precisar enfrentar o trânsito todos os dias, enfim, é uma maravilha e o sonho de muita gente. Sim, ser nômade digital é uma delícia, e eu adoro, mas não é essas mil maravilhas que pintam por aí, temos desafios sim.

A primeira coisa que você precisa para ser uma nômade digital é se conhecer. Sim, autoconhecimento é tudo! Você precisa saber se você se concentra melhor e produz mais quando está isolada, ou se é daquelas que perde o foco muito facilmente e acaba postergando demais suas tarefas. Se você produz melhor sozinha ou em grupo. Qual seu horário mais produtivo e tudo mais.

Eu, particularmente, produzo muito mais trabalhando remotamente, consigo focar muito mais quando estou sozinha. Então com relação a produção, home office para mim é o ideal. Por outro lado, eu sinto falta de pessoas, de trocar ideias, de interagir, então ficar 100% em home office passa a ser pesado para mim. Meu jeito de contornar a situação foi dividir meu tempo, em semanas normais passo 3/5 do meu tempo em home office e 2/5 em cafeterias ou no escritório (quando estou em Curitiba) por exemplo. Assim consigo produzir muito e também interagir com o pessoal.

Para quem trabalha em equipe, apesar de trabalhar remoto, precisa ter o dobro de organização e é preciso estar sempre em contato com o pessoal. Como eu disse, sou uma pessoa que gosta da interação, principalmente quando faço parte de um time. A distância vai devagarinho te dando a sensação de que você não é tão necessária na equipe. Nessas horas o jeito é fazer reunião online. É uma ótima opção, mas para mim, para o meu perfil, isso não supre 100% da necessidade de estar presente no time.

Outro ponto importante em se conhecer é porque você vai precisar se autogerenciar. “Trabalhar a hora que bem entender”, como dizem, não é tão simples assim. O benefício da flexibilidade é realmente indiscutível, principalmente quando você sabe qual é o seu horário de maior produção. Eu, particularmente, não rendo nada até umas 11h da manhã, então sempre que posso não fico me matando para começar a trabalhar as 9hr. E isso foi um mindset bem difícil de mudar porque é um “padrão da sociedade”, até eu entender que eu não precisava começar até as 9h e que nem por isso eu deixava de ser produtiva, levou um tempinho.

A grande vantagem de trabalhar a qualquer hora é a liberdade, mas é preciso ter responsabilidade. Tem dias que trabalhamos 2hr e só, rola um bloqueio criativo e nos permitimos não fazer mais nada aquele dia, mas consciente de que deixamos trabalho para trás e que no dia seguinte a jornada será bem longa para dar conta de tudo.

Poder viajar à vontade também é um dos pontos que mais adoro, para mim é um dos grandes benefícios. Isso e a flexibilidade de horário são os pontos altos do trabalho remoto. Mas, nem tudo é 100% como parece. Você precisa ficar bem atenta aos horários de trabalho da empresa para qual trabalha ou, no caso das empreendedoras, dos seus clientes. Pode ser que seja preciso trabalhar no horário deles e daí sua flexibilidade de horário cairá com certeza. Se você é daquelas que viaja para fora do país, atenção redobrada ao fuso horário, algumas vezes é preciso trabalhar no time zone do cliente e daí vira uma bagunça na rotina e nos planos. Então esteja preparada para trabalhar de madrugada ou perder o pôr do sol fantástico na praia.

Para quem trabalha de casa e tem sempre pessoas da família por perto é preciso ficar atenta, pois isso pode afetar seu rendimento. A tendência é que as pessoas te interrompam demais para falar de coisas da casa, da vida, etc. Por isso é importante colocar limites, tanto para não prejudicar seu trabalho, quanto para não se desentender com as pessoas. Converse abertamente e coloque seus pontos para que possa continuar trabalhando. É claro que emergências acontecem e que talvez você tenha que atender, mas fique ligada no que realmente é emergência e no que não é.

Outro ponto de atenção é a saúde. Quando trabalhamos de casa acabamos trabalhando bem mais do que as 8h do escritório e esquecemos de fazer nossas pausas, sabe aquele chá que a galera te chama para tomar no meio da tarde e dar o break, então, isso não existe no home office, principalmente se na sua casa só tem você. Procure não almoçar na frente do computador ou já voltar correndo aos seus afazeres, lembre-se de parar uns minutinhos para respirar, alongar, tomar seu chá mesmo que sozinha. Outra dica é colocar limites, só trabalho a partir das X horas e encerro as Y (tarefa difícil, mas necessária).

No geral, para mim, ser nômade digital é muito mais interessante e produtivo. Sou do time que acredita que não são as 8hr dentro do escritório todos os dias que vão garantir a produtividade de alguém. Trabalhar remoto é uma satisfação, mas é preciso ter organização e disciplina para que você continue fazendo as coisas acontecerem.

Empreendedorismo Rosa
Taty Verri
Taty Verri Seguir

👩‍💻 Entusiasta da comunicação e tecnologia 🌎 Apaixonada por viagens 📸 Amante da fotografia e da música

Ler matéria completa
Indicados para você