[ editar artigo]

Tudo já deu certo

Por Lênia Luz

Ao participar das atividades em celebração ao dia das Mães, na escola de meu caçula, Vitor, me vi vivendo tudo de novo.

Tenho três filhos do primeiro casamento, e fui mãe muito cedo (para os dias de hoje), mas em uma idade natural para a minha geração. Tive Gabriela, Natália e Daniel muito próximos e confesso que hoje quando penso que morava longe da família não sei como dei conta. Cometia insanidades (aos olhos dos outros) de ir ao mercado e os colocar no carrinho com medo de perdê-los, uma loucura!

Na época escolar, no dia das mães, participava de pelo menos três festinhas, pois cada um estava em uma turma. Curti cada momento e tenho lindas lembranças em minha mente e coração.

Fonte da imagem: arquivo pessoal

Vitor é o filho “temporão”, de uma linda história de amor com Marcio, meu marido. Sem planejamento ele veio, e veio decidido a mudar tudo na minha vida. Minha maneira de ser, meu olhar sobre as exigências da maternidade. Decidimos, como casal, que Vitor entraria na escola mais tarde, por conta de nossa vida de empresários e consultores de franquias. Viajamos muito e Vitor sempre nos acompanhou. Nestes 4 anos de vida foram muitos treinamentos para clientes, amamentação, reuniões, fraldas, produção de projetos no computador, sling, skypes e sobrevivemos todos, Vitor e eu.

Ao chegarmos à escola, NOSSA 1ª. festinha de dia das mães juntos, tínhamos cinco oficinas para participarmos juntos. Fui logo perguntando a ele o que ele queria fazer. Ele prontamente e todo feliz me disse: “Música, música!”. Seguimos para a sala de música, sentamos juntos, cantamos, tocamos reco-reco e ao final tivemos um momento onde os filhos ficavam aninhados no colo das mães, enquanto a professora cantava uma música de ninar. Ali por alguns minutos, eu e Vitor ficamos nos olhando, agarrados um ao outro e nasceu em mim uma gratidão gigante por ser mãe de novo.

Administrar duas empresas, uma rentável outra ainda alçando voo, administrar uma família grande, trabalhar mais de 12 horas por dia, às vezes me exige um esforço sobre-humano. Mas saber que posso escolher um (ou mais de um) momento e parar tudo, quando eu bem quiser, para só me conectar aos meus filhos, isso não tem preço.

Vida empreendedora não é fácil, vida materna também não é, mas existem situações que a gente se sente assim, como quando estive com Vitor hoje, com a certeza de que tudo já deu certo.

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você