[ editar artigo]

Vamos dar o próximo passo?

Vamos dar o próximo passo?

Em 20 de março começou o outono. O sol começa a se por mais cedo, os dias vão ficando mais curtos e mais frescos, folhas caem das árvores, pássaros e animais mudam de comportamento. As mudanças são inevitáveis: na natureza e nas nossas vidas.

Passamos por muitas transformações, mudanças ao longo da vida, físicas, psicológicas, emocionais. De crianças a adolescentes, depois adultos, idosos, com todas as dores e amores que temos direito. Saímos crianças, às vezes bebês, do recesso do lar para creches e escolinhas, onde permanecemos um tempo com poucos coleguinhas, e professores ou cuidadores nos tratam de modo mais próximo.

Quando nos acomodamos à situação, temos que nos adaptar em uma escola maior, pois chega a época do ensino fundamental. Mudamos de turno na escola quando crescemos, mudamos de professores, de amigos e colegas. Às vezes novamente de escola quando chegamos ao ensino médio, e também muitos de nossos amigos. Idem na faculdade.

Mudamos de casas, de cidades, de empregos. Namoros, casamentos, divórcios. Ganhos e perdas. Tecnofobia, por dificuldade de adaptação às novas tecnologias.

Escolher algo é abrir mão de outras opções. Circunstâncias em que há perdas inicialmente podem nos tiram o chão, mas também podem abrir espaço em nossas vidas para uma variedade de opções que podemos ou não perceber e acolher. Oportunidades melhores podem surgir e não receber de nós a atenção devida. O novo pode ser assustador. É o cavalo encilhado que passa: podemos montar e tomar as rédeas, ou não. Mas modificações, sempre acontecem queiramos, ou não.

Nem sempre conseguimos passar facilmente por estas situações, muitas vezes estressantes. Temos de nos adaptar, é o que nos exigem a sociedade, as pessoas de nosso convívio, as relações e ambientes profissionais. Situações felizes podem gerar estresse, mas a adaptação é geralmente mais fácil. Mudanças exigidas por eventos que trazem perdas, por outro lado são mais difíceis de aceitar e acompanhar, além do estresse pode trazer tristeza, depressão, resistência.

A resistência às transformações gera mais dor. E neste momento podemos buscar a força para a mudança na aromaterapia e na terapia floral. O uso do óleo essencial de lavanda ajuda a amenizar o estresse, acalma a mente, pacifica o coração, para que possamos nos sentir mais confiantes em relação às mudanças.

O óleo essencial de melaleuca contribui para nossa transformação, auxiliando para que vejamos o cenário de oportunidades que nos espera logo ali, depois do próximo passo. Basta que não fiquemos parados resistindo, engessados pelo medo da mudança.

No sistema floral Bush Australiano, a Bauhinia é uma essência que trabalha as qualidades de flexibilidade e adaptação ao novo, podendo ser associada a outras essências em uma fórmula floral personalizada às necessidades individuais. As terapias complementares podem te ajudar a visualizar e aceitar estas possibilidades e se transformar de modo mais suave.

Vamos dar o próximo passo?

Por Janaina Barros

 

 

Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa
Empreendedorismo Rosa Seguir

Valorizamos a mulher e todo seu universo pessoal e profissional. Inspiramos pessoas a realizarem ações empreendedoras e intraempreendedoras, contribuindo para um mundo mais inovador e produtivo. Acreditamos que toda mulher pode fazer acontecer!

Ler matéria completa
Indicados para você